Etimologia de Amor

Tem referência no latim como amor, expondo-se em línguas românicas, como no italiano amore ou no francês amour, declarando sua importância e influência. Na passagem, existe uma possível raiz que leva aos povos nômades indo-europeus, que vieram da Ásia para se estabelecer na Europa, cuja forma é semelhante ao latim: *Amma-, em referência à mãe no sentido de aquele amor inicial e incondicional que todos os seres humanos experimentam. Essa relação se estende ao verbo visto no latim amare, para distinguir as carícias e cuidados da mãe, os e a proteção nas mãos do amor verdadeiro. Carícias em torno ao afeto ou a dor. Por sua vez, o sufixo -or atua em função da adaptação deverbal, configurado sobre amar.

A literatura medieval enfatizou o amor cortês como a expressão máxima, como uma forma de cortejar para manifestar um afeto verdadeiro e sincero, própio dos cavaleiros, estabelecendo padrões de comportamento reconhecidos graças à literatura, em obras como Tirant lo Blanch, publicada em 1490 pelo espanhol Joanot Martorell. Nesse contexto, os sentimentos importavam mais do que a aparência física. O cavaleiro respeitava e cuidava de sua amada até conquistar seu coração. O amor nunca é igual, se transforma e evolui até se estabelecer de forma surpreendente dentro de cada um.

A maioria das palavras pode ser definida com relativa facilidade, mas no caso do vocábulo amor não é fácil encontrar uma descrição precisa e clara. Esta dificuldade se deve à complexidade desse sentimento e sua dimensão. A ideia de amor está presente em circunstâncias bem diferenciadas: no vínculo emocional entre mãe e filho, na paixão entre dois namorados, no sentimento de entrega e sacrifício em relação a alguém ou na paixão por uma atividade ou causa.

Amor Verdadeiro

O adjetivo verdadeiro vem do latim verus e este do verbo veritas, que quer dizer verdade. Assim, dizemos que algo é verdadeiro quando o consideramos autêntico, sincero e sem nenhum tipo de falsidade. O compromisso, a intimidade emocional e a paixão são os principais ingredientes no contexto do amor.

Existem diferentes formas de descreve-lo, como romântico, passional, desinteressado, erótico, carnal, platônico, próprio, proibido, entre muitos outros. Cada um desses rótulos proporciona um aspecto único. No entanto, podemos entender que o amor verdadeiro é sua dimensão mais elevada e sublime. As outras versões podem ser estimulantes e interessantes, mas, de alguma maneira, de segunda divisão.

Cinco sinais que indicam que o amor não é verdadeiro

- As mentiras e meias verdades.

- O sentimento de posse pelo ser querido.

- As dúvidas sobre os próprios sentimentos.

- A falta de respeito.

- As atitudes desconfiadas, egoístas ou interessadas.

Fase da paixão

No início de uma relação sentimental ocorre uma série de alterações emocionais bem intensas. Neste sentido, as reações químicas geradas no cérebro se parecem com as alterações físicas provocadas por algumas drogas.

Os principais sintomas na fase da paixonite são os seguintes:

- A capacidade de análise diminui (logicamente que este aspecto afeta a avaliação da outra pessoa).

- Ocorrem mudanças de humor (as pessoas tímidas podem perder sua timidez e as atrevidas já não se sentem tão seguras de si).

- Não é possível evitar o desejo de estar com a pessoa amada.

- Do ponto de vista fisiológico também há uma série de reações espontâneas: dilatação das pupilas, palpitações, "borboletas no estômago", tremor da voz, etc.

- Quando os amantes têm que se separar por algum motivo é habitual sofrerem uma espécie de "síndrome de abstinência".

    : nicoletaionescu

Buscador