Etimologia de Bonança

Provém do latim bonacia, um termo próprio do mundo marinho que faz referência ao estado tranquilo do mar, sem ondas e com pouco vento. Inicialmente, os navegantes romanos usavam a palavra malacia, que quer dizer mar tranquilo, com semelhanças na palavra grega malakía. No entanto, os marinheiros da Roma Antiga deixaram de usar este vocábulo porque tinha conexão ao adjetivo malus (algo mau), paralelamente malakía descrevia no grego um postulado ofensivo, compreendendo fragilidade-debilidade. Assim, a partir do vocábulo bonus, que identifica algo bom, formou-se uma nova palavra, bonança.

Em português, existem vários termos relacionados: bem-estar (combina os componentes do latim bene e stare), tranquilidade (no latim tranquilĭtas), serenidade (no latim serenĭtas), prosperidade (no latim prosperĭtas) ou calma (no latim cauma, em relação ao grego kaûma).

No contexto do mar

No meio terrestre o tempo estável é valorizado positivamente, mas não tem uma avaliação exclusiva. Em compensação, no ambiente aquático é relevante uma vez que o mar e as condições meteorológicas permaneçam estáveis, pois do contrário a navegação pode ser arriscada. Consequentemente, se há bonança no mar a travessia é mais segura (a expressão marinha "ir em bonança" significa que a navegação ocorre com um vento suave).

Embora a situação de calmaria no mar seja uma circunstância de pouco risco, é importante destacar que a bonança no estado do mar não é uma situação ideal (a calmaria da bonança não favorece a navegação).

Período de estabilidade na economia

Da mesma forma que os seres vivos, as palavras vão mudando com o passar do tempo e adquirem novos significados. A situação de bonança em relação à tranquilidade no mar se projeta também a outras áreas e circunstâncias. Desta maneira, há um contexto de bonança econômica quando o conjunto de atividades financeiras atravessa um período favorável (a maioria das pessoas tem trabalho, os preços são estáveis, a atividade comercial é intensa e não há desajustes relevantes).

A linguagem marinha na comunicação

Na vida cotidiana lidamos com palavras e expressões típicas do mundo da náutica. Dizemos que alguém enfrenta uma tempestade quando supera uma situação adversa e difícil.

Quando iniciamos uma viagem, usamos o verbo zarpar, que equivale a levantar âncoras ou simplesmente sair do mar na terminologia marinha.

Quando uma situação é especialmente calma, usamos a expressão calmaria.

Quando enfrentamos um perigo evidente, lutamos contra o vento e a maré.

O mal-estar de acordar após uma noite de festa é conhecido com ressaca, neste caso a sensação física desagradável se compara ao recuo das ondas depois de chegar à margem.

    : hofred

Buscador