Etimologia de Espanha

A maioria dos linguistas afirma que é a evolução natural do vocábulo Hispania, empregado na civilização da Roma Antiga para mencionar o território da Península Ibérica. Hispānia tem raiz no alfabeto fenício configurado como i-spn-ya, anunciando uma -terra de coelhos- a partir da desconstrução dos elementos: -i-, por terra, -spn- por coelho, e -ya- refere a uma delimitação geográfica.

Um território com diversas denominações ao longo da história

Nos textos dos historiadores gregos, o território da atual Espanha era chamado de Ibéria (este nome se mantém na descrição geográfica e por este motivo se fala de península ibérica). Acredita-se que a palavra ibéria poderia vir do rio Iber, da qual a maioria dos estudos identifica como rio Ebro. Inicialmente os romanos mantiveram o topônimo Ibéria, mas introduziram a letra h e partir daí se transformou em Hiberia.

A partir da expansão do Império Romano, o topônimo Hispânia se generalizou determinando três regiões ou territórios diferenciados (Hispania Ulterior Baetica, Hispania Ulterior Lusitania e Hispania Citerior Tarraconensis).

No Antigo Testamento, há uma referência a um grupo de judeus que foram expulsos de Jerusalém e chegaram ao território de Sefarad (na cultura hebraica, Sefarad equivale à ideia de Espanha e por este motivo os judeus espanhóis eram conhecidos como judeus sefarditas).

Após o desaparecimento do Império Romano, o território da Hispânia esteve dominado pelos reis visigodos, mas o topônimo Hispania foi mantido (este período histórico abrangeu desde o século V até o século VIII e é conhecido como hispânia visigótica).

A conquista muçulmana de grande parte da Península Ibérica no século XVIII gerou um novo topônimo, o Al-Andalus (esta denominação árabe passou a ser empregada depois de alguns anos da ocupação muçulmana).

Em castelhano a palavra Espanha apareceu pela primeira vez no século XII, mais especificamente no Cantar del Mío Cid. Há certa controvérsia em relação à referência geográfica desta palavra (para alguns linguistas se referia a toda península ibérica e para outros se remonta aos territórios dominados pelos cristãos).

As Espanhas é uma denominação não oficial com a qual pretende expressar a pluralidade cultural da nação espanhola

Quando em 1492 os Reis Católicos recuperaram o último reino muçulmano para a causa cristã (o reino de Granada), a Península Ibérica se fragmentou em diversos reinos: Reino das Astúrias, Coroa de Aragão, Reino de Castela, Reino de Navarra, Reino de Leão, etc. Devido a esta pluralidade política e cultural, alguns historiadores falam das Espanhas.

Esta denominação pretende também captar uma realidade cultural, uma vez que a ideia de Espanha não deve ser entendida como um conceito homogêneo, mas sim como resultado de uma complexa convivência de diferentes identidades culturais.

    : pelinoleg

Buscador