Etimologia de Axiologia

É um neologismo evidenciado no francês axiologie, com registro em 1902 no trabalho -Logique de la Volonté- do sociólogo Paul Lapie, sobre os componentes gregos: áxios, que se refere à qualidade de digno ou valioso, e logos, postulando um tratado ou acordo, acompanhado do sufixo -ia, determinando qualidade. Deste modo, manifesta um termo que se autodescreve e que refere nos tempos atuais à análise dos valores, observando-se como uma disciplina filosófica e sociológica. Reunindo todas estas referências, chegamos à proposta atribuída pelos gregos à palavra: estudo do digno ou tratado sobre o valioso.

No entanto, seu uso evoluiu para a teoria crítica de valores, que é o que atualmente descreve esta disciplina e ao ramo da filosofia que estuda os valores e juízos a determinada pessoa.

Seu objetivo de estudo, junto com a deontologia, são as duas disciplinas que mais nutrem a ética, parte da filosofia que trata a moral dos comportamentos humanos e atribui a capacidade de qualificá-las como boas ou más, segundo cada caso.

Embora o conceito tenha começado a ser utilizado neste sentido no início do século XX, a preocupação do homem com a questão dos valores é certamente milenar, muito anterior ao uso do termo.

Uma inquietação que atravessou o homem de todas as épocas

Intelectuais, filósofos, autores, entre outros, tem abordado o tema com maior dedicação e preocupação, sendo que muitos deles associaram diretamente aos julgamentos morais, às verdades descobertas e propostas pela ciência e às apreciações cotidianas.

Por outro lado, trata de abordar os valores negativos, em oposição aos positivos, e que são fundamentais para definir que algo é valioso ou não.

Identifica em primeiro lugar a existência de valores objetivos e subjetivos, sendo os primeiros de alcance e conotação universal como a verdade, o bem e a beleza, enquanto que os segundos estão associados a meios para alcançar determinado fim e que quase sempre estão motivados por um desejo pessoal.

Guias de comportamento e agentes causadores de inibição

Estes princípios guiam na maioria das vezes as ações das sociedades e de seus principais integrantes que são os seres humanos.

Cada pessoa conta com uma escala de valores determinada e pessoal, que pode ou não ter nada em comum com a outra, basicamente, porque as pessoas se constroem com base em experiências diversas e únicas, inclusive com modelos pessoais.

Esta escala é usada como guia para determinar o que é certo ou errado.

Os valores, inevitavelmente, são adquiridos na infância e é resultado da educação familiar e escolar, logo participam outros agentes sociais na incorporação de novos valores que podem até mesmo realizar modificações aos mesmos, porém a base está nos primeiros anos de vida.

Como toda escala, existem alguns valores que se localizam acima dos demais, ou seja, atribui-se uma hierarquia superior ou inferior, conforme corresponda.

De acordo com os especialistas, aqueles valores cujas ações correspondem aos que sustentam uma ideologia atendem e satisfazem mais suas vidas do que outros, mas na prática suas ações contradizem.

    : Hanohiki

Vinculado

Buscador