Etimologia de Metodologia

É um neologismo que toma os elementos do grego méthodos e -logía. A desconstrução do método proporciona, por um lado o vocábulo meta e por outro hodos; o primeiro é interpretado como algo que está além, adiante ou ao final, na intenção de que seja alcançado, e o segundo pode ser traduzido como passagem ou caminho. Assim, em seu sentido originário, aborda um procedimento que possibilita avançar sobre determinada finalidade. Se acrescentarmos o sufixo -logia, cujo significado se refere à ciência ou ao estudo de algo, constrói a ideia de metodologia, expressando uma ideia geral: a organização e o planejamento de uma passagem em relação ao estudo, prática e/ou conclusão de um tema.

Todas as ciências são desenvolvidas a partir de um plano de pesquisa ou metodologia

O saber científico deu seus primeiros passos com os filósofos pré-socráticos, estes que descreveram a physis ou natureza deixando para trás as explicações mitológicas e incorporando novos conceitos. Durante o período alexandrino as mais variadas ciências se consolidaram de maneira significativa, mas os eruditos de diferentes ramos não tinham um procedimento ou caminho para desenvolver seus ideais.

Em 1637, o filósofo francês René Descartes publicou o ilustre "Discurso do método" e nesta obra apresentou algumas ideias que deviam servir de guia para o conhecimento científico: critérios para distinguir o verdadeiro do falso, uma análise do conhecimento baseada na razão, o papel da matemática como ferramenta instrumental para todas as ciências e as principais regras de seu método (de maneira muito especial enfatizou não admitir como verdadeira nenhuma ideia sem um critério de certeza confiável).

A finalidade de seu raciocínio era proporcionar um caminho correto para que a razão humana fosse conduzida com um critério de verdade. É a partir da obra de Descartes que podemos falar sobre metodologia.

Sua proposta significou abandonar a pesquisa científica baseada na sorte e, ao mesmo tempo, incorporar um conjunto de regras confiáveis.

Não existe pesquisa sem uma metodologia

Qualquer projeto de investigação requer um método operacional. Neste sentido, há cinco itens gerais que todo processo de pesquisa precisa cumprir:

1) identificar com precisão o tipo de pesquisa a ser realizado,

2) concretizar e definir uma mostra significativa dos fatos,

3) precisar as técnicas de coleta de dados empíricos,

4) descrever o modelo metodológico que será empregado,

5) analisar os resultados obtidos.

O quarto item é a essência de qualquer metodologia, da qual apresenta diversas versões: uma exploração, uma descrição, um processo formal ou axiomático, um método indutivo ou um procedimento hipotético-dedutivo.

Existe uma pluralidade de caminhos ou procedimentos na investigação e, portanto, não há uma única opção.

    : Sergio J Lievano

Buscador