Etimologia de Negócio

Identifica-se no latim como negotium e sua desconstrução expõe os elementos: o prefixo neg- remete à palavra negare em latim, contemplando-se como negar, sobre uma raiz indo-europeia em *ne-, que se expressa como "não"; e otium, que se relaciona ao lazer e, consequentemente, à ideia básica de não fazer nada além de dedicar o tempo a si mesmo. Em poucas palavras, em seu sentido literal, um negócio é qualquer atividade que não está destinada ao lazer, mas sim à produtividade econômica.

O binômio lazer-negócio para os romanos

Nossa maneira de entender a justiça, a estrutura das cidades e as diferentes formas de entretenimento têm uma origem comum, a civilização da Roma Antiga. Sem concentrarmos no lazer, havia uma ampla gama de opções nas cidades do Império. Nos jardins públicos ou viridarium, desfrutava-se da caminhada e da natureza.

Nos ginásios eram realizadas atividades físicas e nos termas era um local para relaxar e para o encontro. Havia também bibliotecas públicas, espetáculos circenses (ludi circenses), apresentações teatrais (ludi scaenici), banquetes e festas, jogos de tabuleiro e muitas outras formas de desfrutar o tempo livre.

Todas estas atividades de lazer eram realizadas por uma minoria da população, já que a grande maioria do povo vivia muito humildemente, até o ponto de o estado distribuir trigo para a subsistência da população (esta distribuição era conhecida pelo termo annona).

Como em outras civilizações da antiguidade, o trabalho manual em Roma era considerado algo indigno

A grande maioria dos trabalhadores do campo e da cidade vivia em um regime de escravidão. Nas cidades havia todo tipo de oficinas artesanais, onde trabalhavam ourives, sapateiros, tecelões e ceramistas. Nos centros urbanos, a construção e a restauração de edifícios proporcionavam trabalho a todo tipo de profissionais (carpinteiros, vidreiros, pedreiros).

A sociedade era dividida entre amos e escravos. Os primeiros podiam desfrutar das diversas formas de lazer e os segundos se dedicavam a algum tipo de atividade produtiva ou negócio. No entanto, havia negócios de grande escala que, logicamente, não era realizado pelos escravos.

Marco Licínio Crasso foi um dos homens mais abastados de Roma

Os negócios mais lucrativos eram a exportação de azeite, o empréstimo de dinheiro, a olaria e a compra e venda de imóveis. Um dos magnatas de Roma foi Marco Licínio Crasso, um militar e aristocrata que viveu entre os séculos II e I a. C e acumulou uma imensa fortuna como consequência da venda das mansões que previamente havia apoderado.

Outro de seus grandes negócios consistia em comprar fazendas a preço baixo, daquelas que haviam sido devastadas por um incêndio, pois logo em seguida ele construía novas edificações que eram vendidas a preços exorbitantes.

    : bigmen

Buscador