Etimologia de Biologia

Postula o saber da vida, formado pelo sufixo grego bio- por bios, que equivale à vida, e acompanhado pelo grego -logia, por logos, que o distingue como uma área de análise, enquadrando-o como uma ciência.

Na atualidade, temos amplos conhecimentos sobre o material genético, a composição das moléculas e os processos que afetam os organismos vivos. Entretanto, em pleno século XXI, o fenômeno da vida continua sendo um mistério, pois não há uma resposta definitiva sobre a origem da vida em nosso planeta.

Todos os seres vivos e seus mecanismos de desenvolvimento e crescimento são estudados em uma disciplina: a Biologia. Como muitas outras áreas do conhecimento, a biologia vem evoluindo e tem formado várias disciplinas dentro de sua evolução histórica: a botânica, a zoologia, a microbiologia, a genética, a anatomia, a embriologia, a etologia e a ictiologia.

A história da biologia começou com Aristóteles no século IV a. C

Aristóteles se dedicou a diversas disciplinas, como a lógica, a metafísica, a poética, a física e a ética. No entanto, muitas vezes, esquecemos que muitas de suas pesquisas estiveram focadas no estudo dos seres vivos. Na verdade, ele foi o primeiro a apresentar uma classificação do reino animal. Propôs o seguinte esquema geral: animais que têm sangue (por exemplo, quadrúpedes, aves e peixes) e animais sem sangue (insetos, crustáceos e moluscos).

Por outro lado, apresentou descrições anatômicas e fisiológicas e, sobretudo, propôs uma descrição taxonômica dos seres vivos (a taxonomia de Aristóteles não foi superada até o século XVIII até o aparecimento do naturalista sueco Carlos Lineu).

Além dos fundamentos da biologia como ciência, Aristóteles entendia que todos os seres vivos são regidos por um propósito, um thélos. Em outras palavras, o comportamento de cada indivíduo pertencente a uma espécie tem uma finalidade específica (no caso do homem este fim é alcançar a felicidade).

Os desafios da biologia do século XXI

As contribuições de Charles Darwin sobre a seleção natural estimularam a uma teoria geral: o evolucionismo. Embora esta teoria seja aceita pelo conjunto da comunidade científica, os mecanismos mais específicos da evolução ainda não são conhecidos.

Desde a década de 1950 a estrutura do DNA é conhecida, sendo que hoje em dia já é possível realizar um mapa genético de cada indivíduo.

Apesar disso, os pesquisadores procuram compreender todos os processos da modificação genética.

O conhecimento sobre o cérebro humano constitui o grande desafio dos pesquisadores. Sabemos muitas coisas sobre a máquina que ativa nossos pensamentos e emoções, mas ainda desconhecemos porque sonhamos, de que maneira criamos ideias e como armazenamos nossas lembranças.

    : Kotjarko, Popova Olga

Vinculado

Buscador