Etimologia de Sabedoria

Está construída a partir do verbo saber, determinado no latim como sapĕre, e o sufixo -ía, que atua para moldar considerando a relação com o adjetivo sabedor, conjugando o verbo sapĕre e o sufixo -tor, vinculado a sábio, observado no latim sapĭdus trabalhando sobre o verbo sapĕre e o sufixo -ĭdus. Contempla uma manifestação de conhecimento dado particularmente pela experiência vivida, proporcionando ferramentas de valorização e interpretação.

Bases do saber: estudo, dedicação, experiência e cautela

No entanto, a sabedoria não implica num conhecimento simples e fácil de um assunto ou tema, mas possui um saber detalhado e profundo que só se encontra acessível através do estudo e da experiência, e que com certeza para sua conquista exige uma parcela de moderação.

Para adquirir um saber específico é imprescindível esforçar-se e orientar a ação neste sentido, ninguém nasce especialista em algo, já que os conhecimentos são conquistados a partir da experimentação e também da observação de um professor, entre outras fontes.

Valorização e proteção dos idosos considerados fontes de sabedoria

Tradicionalmente esta qualidade é atribuída a indivíduos adultos, próximos da velhice, pois se presume que por causa da longa trajetória de vida que tiveram armazenam uma infinidade de conhecimentos e destrezas.

Pelo contrário, os indivíduos jovens podem demonstrar grande perspicácia e inteligência no que diz respeito ao conhecimento e resolução de determinadas questões, no entanto, a experiência dos anos vividos proporciona expertise e marca uma diferença substancial em relação àqueles que recém estão caminhando seus primeiros passos para a maturidade.

Devido a isso, em muitas culturas, especialmente no Oriente, os idosos recebem uma erudição natural e proporcionada pelos anos, portanto, são respeitados, consultados e considerados uma referência na hora de tirar dúvidas ou quando é necessário o conhecimento sobre algo de alguém com autoridade e segurança.

Neste sentido, é aconselhável quando se tem uma inquietude sobre uma decisão, aproximar-se dos mais velhos, como de um avô, por exemplo, que pode nos aconselhar com base em suas experiências, que naturalmente incluem sucessos e fracassos, sendo estes últimos dos quais mais se aprende.

A sensatez ou bom senso nos predispõe ao sucesso e evita o fracasso

Por outro lado, a prudência é uma virtude inerente à sabedoria e que predispõe favoravelmente na hora de julgar, conhecer ou pensar.

Sob seu "mando" seremos guiados pelo senso comum, pela racionalidade e sensatez que nos ajudarão na hora de tirar conclusões, discernir entre o bom e o mau, entre a verdade ou a mentira, evitar perigos e alcançar os objetivos propostos, entre outros.

Sem dúvida, a sabedoria tem sido uma das questões mais abordadas e que interessa aos homens de todas as culturas, desde o início da humanidade.

Sócrates e Confúcio: dois símbolos de sabedoria cujos ensinamentos seguem vigentes

Os gregos, por exemplo, deram grande importância às abordagens de vários filósofos sobre o assunto, inclusive, neste sentido, a busca prevaleceu no ideal grego.

Além disso, a própria cultura grega se destaca entre outras pela sabedoria de saber colher e transmitir, respondendo a uma infinidade de questões que até aquele momento apareciam como uma incógnita.

Um dos filósofos pioneiros neste assunto foi Sócrates, que afirmava que a essência do conhecimento humano é primeiramente conhecer a si mesmo e, desta maneira, abrir caminho para o saber transcendental.

Além do mais, atribuiu um papel especial à virtude, sendo que para ele a sabedoria e a moralidade andam de mãos dadas.

Foi professor de Platão, e este último de Aristóteles, no entanto, os três são considerados símbolos da filosofia e da sabedoria na Grécia Antiga.

Em sua contribuição direta para a conquista da sabedoria promoveu o método socrático baseado na busca de novas ideias e conceitos a partir do debate entre dois interlocutores que aceitam ou recusam os argumentos que cada um expõe por sua vez.

Anterior a Sócrates cronologicamente, pois viveu no século IV a. C, enquanto que o primeiro realizou um século depois, Confúcio é sem dúvida um dos ícones da sabedoria oriental.

Este notável pensador, elevado à categoria de sábio, criou a doutrina do Confucionismo, da qual exerceu grande influência e participou da formação dos dirigentes políticos para o exercício de um bom governo.

Coincidiu com Sócrates em promover a virtude como base do bom saber e das boas ações, assim como procurou difundir a proteção da cultura, das tradições, do estudo, da meditação, do respeito aos idosos e antigos sábios orientais, além da tolerância e bondade.

Tinha a firme convicção de que apenas a convivência harmoniosa gera uma sociedade próspera, justa e sábia.

    : poosan

Buscador