Etimologia de Falácia

Provém do latim fallacia e este por sua vez do verbo fallere, que quer dizer enganar. Empregamos esta palavra em relação às premissas falsas com aparência da verdade. O adjetivo falaz designa um argumento inconsistente ou a pessoa que mente de maneira dissimulada.

No campo da lógica

A lógica é um ramo da filosofia que analisa as leis do pensamento. Estas leis, por sua vez, têm relação direta com a ideia da verdade. Assim, quando um argumento não tem a consistência lógica apropriada, torna-se uma falácia.

O falso dilema ou falsa dicotomia é uma das falácias lógicas mais comuns. Um exemplo neste sentido ocorre quando uma pessoa afirma que há apenas duas escolhas possíveis quando na verdade existem outras alternativas que não se contemplam.

A falácia ad hominem é aquela em que se desacredita uma determinada ideia não por seu conteúdo, mas sim pela pessoa que a defende.

A falácia ad populum é um argumento demagógico da qual se pretende convencer as pessoas e com apelo às suas emoções.

O uso deste tipo de raciocínio inválido ou enganoso se deve a duas circunstâncias: a um erro na formulação lógica do argumento ou então diretamente ao desejo de enganar ou manipular. Neste último caso, o indivíduo que manipula e distorce a verdade no contexto do discurso político se torna um demagogo (a palavra demagogia significa literalmente "que conduz o povo").

Falácia etimológica

A etimologia é um ramo da linguística que estuda a origem das palavras. Assim, quando alguém afirma que o significado atual de um termo deveria coincidir com sua etimologia, está incorrendo em uma falácia etimológica. Este tipo de raciocínio é enganoso porque não leva em conta que o significado das palavras evolui com a passar do tempo e nesse processo a origem remota de um termo nem sempre coincide com seu significado atual.

Por outro lado, argumentar a favor ou contra uma ideia baseada na etimologia é um raciocínio anacrônico, uma vez que algumas ideias do presente são julgadas a partir do significado remoto.

Outras formas de engano

O sofisma é um argumento capcioso com o qual se pretende manipular alguém. O sentido depreciativo deste termo está diretamente relacionado às críticas de Sócrates e Platão em relação aos sofistas, profissionais dedicados ao ensino da retórica.

O boato é uma notícia falsa que pretende desacreditar alguém. Nos últimos anos, o que está na moda são as fake news.

O embuste é uma mentira e a pessoa que falta com a verdade é uma embusteira. Neste sentido, existem vários sinônimos de embuste, como trapaça, burla, tramoia, entre outras.

    : Strels

Buscador