Etimologia de Literatura de Vanguarda

Inicialmente, literatura se localiza no latim litteratūra. Em sua origem remota, não tinha relação com a produção escrita de obras poéticas, narrativas ou teatrais. De fato, na civilização romana se utilizava para designar o professor de escola ou litterator, que ensinava o alfabeto e as normas gramaticais da linguagem. De forma eventual e naturalmente se estendeu à produção literária.

Vanguarda, por sua vez, tem origem no francês, especificamente em avant-garde. O componente avant é reconhecido no latim abante, tomando os elementos ab, que refere a desde, e ante, que indica antes ou estar à frente, este último com referência no indo-europeu *ant-, adiante. Para completar, garde se refere à guarda no absoluto sentido de proteção. Em seu sentido originário, empregava-se para mencionar a unidade militar cuja posição estava mais avançada no combate (frente aos soldados situados à vanguarda, estão aqueles que se colocam na retaguarda).

O uso do termo começou a ser utilizado no contexto de um conflito bélico de grande magnitude, a Primeira Guerra Mundial

A partir de 1910, a arte em geral e a literatura em particular começaram um novo rumo, afastando-se da tradição anterior. Surgiram vários movimentos rupturistas: o criacionismo, o surrealismo, futurismo, ultraismo, dadaísmo, entre outros Cada um apresentava uma proposta estética e certos ideais.

Apesar de cada movimento ou ismo ter sua própria identidade literária, é possível falar de algumas características em comum: tudo é questionado, o novo é exaltado, são empregados recursos poéticos e narrativos não convencionais e há um espírito revolucionário.

Exemplos de propostas vanguardistas na criação literária

As greguerias de Ramón Gómez de la Serna são frases engenhosas que combinam humor e metáfora. Os caligramas de Gillaume Apollinaire são imagens visuais feitas a partir de um texto manuscrito. As escrituras dadaístas questionam todas as regras e tradições literárias. O surrealismo impulsionado pelo escritor André Breton desenvolveu novas técnicas narrativas, especialmente a escrita automática.

Os futuristas rejeitam a arte convencional e defendem uma arte combativa e energética. A poesia criacionista do chileno Vicente Huidobro se destaca pelo desprezo às regras gramaticais, por um uso original da tipografia e pela formação de um universo poético onde o poeta é um criador que imita o Criador do universo.

Estas pinceladas das vanguardas do início do século XX fazem parte da história da literatura universal, mas não podemos esquecer que o rótulo "literatura de vanguarda" continua sendo empregado na atualidade quando uma obra literária tem algum elemento novo e original.

    : Vasya

Buscador