Etimologia de Matrimônio

Provém do latim matrimonium, associado aos vocábulos mater, que se refere à mãe e, monium, em alusão a um ato formal ou ritual. Consequentemente, em sua origem esta palavra designava o reconhecimento social de uma mulher casada, já que através do matrimônio a mulher adquiria o status oficial e o reconhecimento para ser a mãe dos descendentes de um homem. Vale destacar que na civilização romana o vínculo legítimo de um casal era designado como connubium.

Observa-se no latim mater alguns termos que se encontram intimamente relacionados: matricídio em matricidium, que se refere ao assassinato de uma mãe, matriarcado em matriarca, em oposição ao patriarcado, matriz em matrix, interpretado como o útero. É interessante a figura predominante da mulher sobre o matrimônio, colocando-a como a responsável pelo casal e em relação aos filhos.

Todas as culturas humanas compartilham uma ideia bem parecida

O enlace matrimonial apresenta diversos rituais e tratamentos. Da mesma forma, pode ser entendido a partir de uma perspectiva religiosa ou civil. No entanto, na maioria das tradições culturais do passado e do presente, o matrimônio possui uma série de regras bem comuns: a união entre um homem e uma mulher, a duração no tempo, o projeto de fertilidade, a transmissão de valores e apoio mútuo.

A partir da perspectiva católica

Para os católicos, o matrimônio ou casamento - como também é chamado - só é admissível entre um homem e uma mulher, por outro lado, constitui um dos sete sacramentos da igreja (os outros seis são: batismo, confirmação, eucaristia, penitência, unção dos enfermos e ordem sacerdotal). Da mesma forma, o vínculo entre os cônjuges constitui o pilar de outra instituição, a família.

Embora o divórcio não seja reconhecido pela Igreja Católica, existe a possibilidade de declarar nulo um matrimônio. Segundo o direito canônico, para que ocorra a anulação de um casamento é necessário que algumas circunstâncias sejam demonstradas (por exemplo, que o casal seja menor de idade, que o homem seja impotente ou que haja incompatibilidade entre as religiões dos cônjuges).

No ritual das bodas o padre pergunta aos noivos se o enlace entre ambos é de livre escolha e se comprometem a amar um ao outro para sempre. Com uma resposta afirmativa, a união matrimonial adquire o grau de sacramento.

Curiosidades sobre as tradições do casamento judaico

O enlace é celebrado em uma jupá, uma espécie de tenda sem paredes na qual um pedaço de pano ou tecido é sustentado por quatro varas (esta construção significa que o casal será responsável por "construir as paredes").

O documento de compromisso que formaliza o vínculo é conhecido como ketubá (neste documento o marido assume uma série de compromissos econômicos e emocionais para com sua esposa).

O noivo coloca um véu sobre a cabeça da noiva e desta maneira a identifica como esposa. A cerimônia termina quando o noivo quebra uma xícara com o pé (este ato simbólico faz referência à destruição do Templo em Jerusalém).

O dia da boda se compara a um Yom Kipur pessoal, onde os pecados dos noivos são perdoados.

    : aluna1

Buscador